12.6.06

Janeiro -O canto de cisne nazi



Falha a ofensiva de Hitler nas Ardenas e na Alsácia (Janeiro)

Soviéticos ocupam Varsóvia (17 de Janeiro)

França: Maurras é condenado à prisão perpétua (27 de Janeiro)

Soviéticos libertam os campos de concentração de Birkenau e Auschwitz na Polónia (27 de Janeiro)

Fevereiro -Entre Yalta e a vergonha colaboracionista



Conferência de Yalta; Charles de Gaulle não foi convidado (4 a 11 de Fevereiro).

Demissão do primeiro-ministro belga, Pierlot, estacionado em Londres, acusado, pelos socialistas, de ser timorato na política de depuração; segue-se, no dia 12, um governo de coligação entre socialistas e sociais-cristãos, presidido por Van Acker (8 de Fevereiro)

Hungria: em 13 de Fevereiro, os soviéticos ocupam Budapeste e em Novembro há eleições, onde vence o Partido dos Pequenos Proprietários, com 57% dos votos, recebendo os comunistas apenas 17%.

Executado o escritor colaboracionista Robert Brasillach (9 deFevereiro).

O governo grego, vencedor da batalha de Atenas, assina com os comunistas o acordo de Varzicka, onde se consagra o desarmamento das tropas da resistência e a realização de eleições sob controlo internacional; a ordem não será estabelecida e suceder-se-ão violentas repressões anticomunistas (12 de Fevereiro)

Soviéticos ocupam Budapeste (13 de Fevereiro)

Destruição de Dresden por bombardeamentos aliados (13 e 14 de Fevereiro). 235 000 vítimas, 1224 aviões e 650 000 bombas.

EUA conquista Iwo Jima, posição a partir da qual se torna possível o bombardeamento de cidades japonesas (19 de Fevereiro). Uma ilha de 20 km2, para cuja conquista morrem 22 000 japoneses e 6821 norte-americanos.

Conferência inter-americana do México, onde participam todos os Estados do continente, à excepção da Argentina (21 de Fevereiro a 5 de Março). Adoptado o Acto de Chapultepec, onde se estabelece o princípio de assistência mútua em caso de agressão.

Março -Aliados no Reno e japoneses fomentando independências na Ásia



Hitler ordena a destruição completa das indústrias e dos meios de transporte

Ofensiva dos aliados no Reno, atingido no dia 4. Tropas norte-americanas entram em Colónia (dia 7) e no Sarre (dia 24). Desde o dia 28 que o governo alemão abandona Berlim. No dia 29, soviéticos conquistam Dantzig.

Japoneses atacam posições francesas na Indochina (9 de Março). Proclamada a independência de Annam, onde o imperador bao Dai denuncia o protectorado francês. Britânicos avançam na Birmânia.

Bombardeamento norte-americano sobre Tóquio causa cerca de 125 000 mortos (10 de Março)

Cambodja aproveita a ofensiva e declara a independência, sob a liderança do príncipe Norodom Sihanuk (12 de Março) Assinado no Cairo o pacto que cria a Liga Árabe (22 de Março). Subscrito pelo Egipto, Síria, Transjordânia, Iraque e Líbano.

Abril -Morte de Roosevelt e assassinato de Mussolini



Soviéticos conquistam a Hungria (3 de Abril). No dia 10, soviéticos em Konnigsberg.
O rei do Laos, Sisavang Vong, impulsionado pelos japoneses, proclama a independência (8 de Abril). Em Novembro, abdica, instituindo-se o Estado do Laos (Pathet Lao).

Morte de Roosevelt (12 de Abril). Sucede-lhe Harry Truman

Libertado o campo de concentração de Dachau e são conhecidos os horrores nazis (18 de Abril)

Começa a Conferência de San Francisco que há-de dar origem à ONU (de 25 de Abril a 26 de Junho). Os convites partem dos chamados “três grandes” (EUA, URSS e RU) e da China, sem que a França possa entrar em tal clube que desencadeia a ordem mundial do pós-guerra. Tomam como base as decisões de Dombarton Oaks e de Yalta.

Tropas soviéticas e norte-americanas encontram-se em Torgau, no Elba (25 de Abril). Começa a batalha para a conquista de Berlim. O marechal Pétain, que se refugiara na Suíça, entrega-se às novas autoridades francesas.

Constituído um governo provisório em Viena, presidido pelo socialista Karl Ranner, com a participação de socialistas, comunistas e populares; a independência da Áustria será declarada a 14 de Maio (27 de Abril)

Fuzilamento de Mussolini (28 de Abril). No dia seguinte o seu corpo é exposto em Milão, na Praça do Loreto.

Suicídio de Adolf Hitler (30 de Abril)

Maio -Capitulação nazi e revoltas na Argélia



Conquista de Berlim (2 de Maio). Assinado acto definitivo da capitulação alemã em Berlim (9 de Maio). No dia 1, o almirante Donitz, através de uma comunicação radiofónica informava da morte de Hitler e que assumia o poder para continuar a luta contra o bolchevismo.

Jugoslavos ocupam Fíúme (3 de Maio). No dia 14, os britânicos entregam a Tito cerca de 26 000 guerrilheiros chetnik que, depois de resistirem ao nazismo, eram perseguidos pelos comunistas e tentavam a protecção junto dos democratas do Ocidente.
Rainha Guilhermina volta aos Países Baixos (4 de Maio)

Socialistas e comunistas belgas pedem a abdicação de Leopoldo II; o governo de Von Acker, nesta sequência, pedirá a demissão no dia 16 de Junho (4 de Maio)

Surge um governo de unidade nacional na Dinamarca, participado por socialistas, comunistas, conservadores e liberais (5 de Maio)

Karl Renner declara a independência da Áustria (14 de Maio)

Reino Unido: Trabalhistas rejeitam a proposta de Churchill no sentido da continuação do governo de unidade nacional até ao fim da guerra; no dia seguinte, Churchill pede a demissão; no dia 25 constituirá novo governo, onde os liberais substituem os trabalhistas (22 de Maio)

Autoridades francesas têm de reprimir actividades de nacionalistas na Argélia; idênticos conflitos com autoridades britânicas na Síria (Maio). No dia 9 há cerca de 9 000 mortos em Argel.

Junho -O nascimento da ONU



Depois do regresso a Oslo do rei Haakon VII, no dia 7,ormado um governo de união nacional na Noruega, sob a direcção do Det Norske Arbeiderparti, partido norueguês do trabalho, fundado em 1887 (23 de Junho)

Constituído um novo governo nos Países Baixos, sob a direcção dos chefes da resistência (25 de Junho)

Reino Unido: conservadores perdem as eleições: 263 lugares contra 322 para os trabalhistas (26 de Junho e 5 de Julho).

Termina a conferência de São Francisco, sendo assinada a Carta das Nações Unidas (26 de Junho).

Julho -Potsdam: regresso aos Estados directores



Eleições britânicas, com vitória dos trabalhistas e derrota de Churchill (5 de Julho) Attlee forma governo em Londres (26 de Julho)

Tropas francesas passam a administrar o Sarre (12 de Julho)

Espanha: Franco faz aprovar o Fuero de los Españoles (13 de Julho)

Unionistas obtêm a maioria absoluta na Irlanda do Norte (14 de Julho)

Conferência de Potsdam (a 25 km de Berlim), com Estaline, Truman e dois primeiros-ministros ingleses, primeiro Churchill e depois Attlee (16 de Julho a 1 de Agosto).

Explosão da primeira bomba atómica experimental em Alamogordo, no deserto do Novo México (16 de Julho), produto de uma equipa de cientistas, onde se destacam Oppenheimer e Fermi
Reino Unido: parlamento decide que Leopoldo II não poderá reinar sem ser com o acordo parlamentar (18 de Julho)

França: iniciado o processo Pétain; será condenado à morte em 15 de Agosto, mas De Gaulle comutará a pena (23 de Julho)

Ho Chi Min proclama a independência do Vietname (26 de Julho)

Um governo social-democrata, presidido por Hansson sucede a um governo de unidade nacional na Suécia (31 de Julho)

Agosto -Entre a bomba de Hiroshima e Ho Chi Minh



Bomba atómica sobre Hiroshima (6 de Agosto) e depois sobre Nagasaqui (9 de Agosto). Moscovo declara guerra ao Japão (8 de Agosto).

Pelo tratado de Londres de 8 de Agosto de 1945, é instituído o Tribunal de Nuremberga

Tropas soviéticas na Coreia (10 de Agosto). Primeira sessão da comissão de reparações de guerra em Moscovo (11 de Agosto). Surge um comissão de controlo inter-aliado para a
Alemanha ocupada (30 de Agosto).

Capitulação do Japão (14 de Agosto). No dia 31 já o general Mac Arthur aterra na ilha.

Pétain é condenado à morte (14 de Agosto)

Sukarno, em aliança com os japoneses, proclama a República da Indonésia (17 de Agosto)
Revolucionários vietnamitas pró-comunistas, liderados pró Ho Chi Minh, instalam-se em Hanói e, depois, em Hué, obrigando o imperador Bao Dai a abdicar (19 de Agosto) Num governo provisório de 15 membros, 9 são comunistas (29 de Agosto)

Setembro -Espanha em quarentena e partilha da Alemanha




Assinada a rendição do Japão, a bordo do “Missouri” (2 de Setembro).

Ho Chi Minh cria o governo provisório da República do Vietname (15 de Setembro)

De Gaulle reclama que a Renânia seja destacada da Alemanha e colocada sob o controlo estratégico e político da França, Reino Unido, Bélgica e Países Baixos (10 de Setembro)

Espanha: Franco abandona a obrigatoriedade da saudação de braço ao alto (11 de Setembro)

Outubro -Guerra na Indonésia e golpes sul-americanos



Decidida em Paris a constituição da Federação Sindical Mundial, pró-soviética (3 de Outubro)

Instituída em França a Sécurité Sociale (4 de Outubro). Corpo expedicionário francês desembarca em Saigão (5 de Outubro). Pierre Laval é condenado à morte (9 de Outubro).

Eleições para a Assembleia Constituinte em França (21 de Outubro). Maioria para socialistas e comunistas.

Vitória dos trabalhistas nas eleições norueguesas (10 de Outubro)

Criada a FAO (16 de Outubro)

Entrada em vigor da Carta da ONU (24 de Outubro).

Vitória do partido socialista nas eleições dinamarquesas; será constituído um governo minoritário, presidido pelos agrários, em 8 de Novembro (31 de Outubro)


Golpe de Estado na Venezuela. Derrubada a ditadura de Angarita e lançadas as bases para o regresso à democracia, tomando o poder uma junta revolucionária liderada por Rómulo Bettancourt* e o Partido da Acção Democrática (18 de Outubro)
Péron sobe ao poder na Argentina (22 de Outubro)

Guerra na Indonésia entre os independentistas, comandados por Sukarno, e as autoridades dos Países Baixos (27 de Outubro)

Marshall enviado à China para tentar mediação entre nacionalistas e comunistas (29 de Outubro)

Forças armadas brasileiras demitem Getúlio Vargas (29 de Outubro). Novo regresso à democracia, por impulso norte-americano. O novo presidente é o antigo ministro da guerra de Vargas, o general Gaspar Dutra.

Novembro -UNESCO, penicilina e tribunal de Nuremberga



Desencadeada a guerra civil na Grécia (2 de Novembro).

Começa a conferência internacional sobre reparações de guerra em Paris (9 de Novembro)

Fabricada a penicilina (Novembro). No dia 12 era atribuído o prémio Nobel ao respectivo inventor, o britânico Alexander Fleming

Criada a UNESCO (16 de Novembro)

Começam os processos de Nuremberga (20 de Novembro). Abrangidos 22 altos dirigentes nazis

Novo governo em Paris, presidido pelo general De Gaulle (21 de Novembro), com membros do MRP, democratas-cristão, da SFIO, socialistas, e do PCF. De Gaulle foi designado chefe do governo pela Assembleia Constituinte no dia 13.

Eleições austríacas; 50% para os socialistas, 44% para os populares; em 8 de Dezembro forma-se novo governo de unidade nacional, com socialistas, populares e comunistas (25 de Novembro).

Proclamada a República Popular Federal da Jugoslávia (29 de Novembro)

Comunistas não vencem as eleições na Hungria

Dezembro - A nova ordem económica mundial



Eleições no Brasil; vitória do general Dutra* do PSD, com o apoio do PTB de Getúlio (2 de Dezembro)
Constituído novo governo italiano, presidido por Alcide de Gasperi, com a participação de vários partidos, incluindo os comunistas (10 de Dezembro)
Grécia: comunistas decidem não participar nas eleições (12 de Dezembro)
Karl Renner torna-se presidente da república na Áustria. Figl, do partido popular, assume a chefia do governo (20 de Dezembro)
Criado o Comissariado do Plano em França, dirigido por Jean Monnet (21 de Dezembro)

Reunião dos ministros dos estrangeiros dos quatro grandes em Moscovo, onde se estabelecem os princípios a que deverão obedecer os tratados de paz (16 de Dezembro)
Criado o BIRD (27 de Dezembro). Em execução dos acordos de Bretton Woods, de Julho de 1944.
Atentados terroristas judaicos na Palestina contra autoridades britânicas (27 de Dezembro)
Indonésia: um contingente holandês desembarca em Java (29 de Dezembro).

10.6.06

As novas Tordesilhas do Mundo

Depois do fim da Segunda Guerra Mundial, desde a capitulação do Terceiro Reich, às bombas atómicas de Hiroshima e Nagasaqui (6 e 9 de Agosto de 1945) estabeleceram-se as inovas Tordesilhas do Mundo.


Aquilo que tinha começado por ser uma espécie de guerra civil europeia, entre as principais potências de um Velho Mundo, insatisfeitas com os espaços vitais delineados pelo Tratado de Versalhes, acaba por ter efeitos mundiais, com o feitiço a voltar-se contra o feiticeiro, porque quem efectivamente perdeu a guerra foi a Europa que, desde então, deixou de poder ter uma Weltpolitik.

Na verdade, os verdadeiros vencedores da guerra são duas uniões imperiais, uma ainda jovem new nation e uma mais antiga potência central, convertida ao imperial-comunismo. A marcha dos soviéticos é impressionante: transpõem o Vístula (12-01), ocupam Varsóvia (17-01), Budapeste (13-02), Konigsberg (10-04), Viena (13-04) e chegam a Berlim (23-04), uma semana antes de Adolf Hitler se suicidar (30-04), já depois de Mussolini ter sido assassinado (28-04). Entretanto, morre Roosevelt (12-04).

Depois de assinada a capitulação alemã em Berlim (08-05), é iniciado o processo de Philippe Pétain (1856-1951) em 23-07, que, depois de condenado à morte, vê De Gaulle (1890-1970) comutar-lhe a pena (15-08), antes de se desencadearem os julgamentos do Tribunal Internacional de Nuremberga (08-09), que havia sido instituído pelo Tratado de Londres de 08-08.


Aquilo que tinha começado por ser uma espécie de guerra civil europeia, entre as principais potências de um Velho Mundo, insatisfeitas com os espaços vitais delineados pelo Tratado de Versalhes, acaba por ter efeitos mundiais, com o feitiço a voltar-se contra o feiticeiro, porque quem efectivamente perdeu a guerra foi a Europa que, desde então, deixou de poder ter uma Weltpolitik.

Na verdade, os verdadeiros vencedores da guerra são duas uniões imperiais, uma ainda jovem new nation e uma mais antiga potência central, convertida ao imperial-comunismo. A marcha dos soviéticos é impressionante: transpõem o Vístula (12-01), ocupam Varsóvia (17-01), Budapeste (13-02), Konigsberg (10-04), Viena (13-04) e chegam a Berlim (23-04), uma semana antes de Adolf Hitler se suicidar (30-04), já depois de Mussolini ter sido assassinado (28-04). Entretanto, morre Roosevelt (12-04).

Depois de assinada a capitulação alemã em Berlim (08-05), é iniciado o processo de Philippe Pétain (1856-1951) em 23-07, que, depois de condenado à morte, vê De Gaulle (1890-1970) comutar-lhe a pena (15-08), antes de se desencadearem os julgamentos do Tribunal Internacional de Nuremberga (08-09), que havia sido instituído pelo Tratado de Londres de 08-08.


A execução do contemporâneo projecto europeu nunca pôde ser um assunto apenas intra-europeu, nunca foi exclusivo da mera política de cooperação doméstica entre os europeus. Bem pelo contrário: o projecto europeu ficou totalmente dependente do jogo da guerra fria.
Desde o primeiro momento da CECA que esta Europa do projecto europeu sempre viveu ao ritmo da balança mundial de poderes.

Directamente provocada pelas consequências da segunda guerra mundial, a nova Europa foi-se esboçando ao ritmo da tensão e da ambivalência de um mundo bipolarizado, conforme a respiração vertiginosa da chamada guerra fria e o desafio da internacionalização económica provocada pelo comércio mundial.

Entre a NATO e o Pacto de Varsóvia, entre a OECE/OCDE e o GATT, entre o medo da Terceira Guerra Mundial e o crescendo da aldeia global das trocas, eis a Europa a que fomos chegando.
Com efeito, depois da Segunda Guerra Mundial, desfeito o Euromundo, deixou de ser possível uma leitura eurocêntrica da história. A balance of power não só deixou de ter um fiel europeu, como até de contribuir maioritariamente para os pesos e contrapesos dos dois pratos da balança.

12.5.06

Sete etapas da nova ordem internacional

O primeiro dos passos dessa nova ordem mundial foi dado na Carta do Atlântico de 12 de Agosto de 1941.
Nessa cimeira entre Roosevelt e Churchill, ao largo da Terra Nova, foram fixadas as bases sobre as relações entre os Estados Unidos e o Reino Unido depois da guerra, o chamado Tratado do Atlântico. No art. V desse documento, proclamava-se que após a destruição da tirania nazi, esperamos ver erguer-se no mundo um estado de paz, no qual todos possam viver sem guerra dentro das suas próprias fronteiras).


Seguiu-se a Conferência de Teerão, de Novembro e Dezembro de 1943, onde a URSS, os Estados-Unidos da América e o Reino Unido chegam a um acordo quanto à linha Oder-Neiss, como fronteira alemã a leste, sendo também decidida a criação de uma organização mundial que substituisse a SdN.



Em 1944 é a Conferência de Bretton Woods, que terminou em 22 de Julho de 1944, onde se procuram as bases para vertente económica da nova ordem mundial. Se, no plano da teoria, parecem dominar as posições de John Maynard Keynes, eis que, no plano prático, são marcantes as propostas do secretário do tesouro norte-americano, Henry Morgenthau, e do seu delegado à conferência, Harry Dexter White. É nessa conferências que se esboçam o FMI, o BIRD e a OIC. A URSS nega-se a subscrever os acordos.



Na Conferência de Yalta, de 4 a 11 de Fevereiro de 1945, faz-se um acordo onde se fixam as fronteiras onde os exércitos convergentes deveriam encontrar-se e onde deveriam ficar enquanto os governos negociavam os termos da paz, que deveria prever a retirada das forças armadas.
Se ainda se não procede à partilha do mundo, chega-se à demarcação militar.
Os soviéticos, no entanto, tornaram-se agressivos a partir de então. Transformaram os territórios ocupados num cordão sanitário e numa base para ulteriores conquistas político-ideológicas.
Os norte-americanos como resposta advogam o containment. isto é, aceitam o cordão sanitário estabelecido, fazendo dele uma linha Maginot, porque destruir essas conquistas russas só poderia ser feito através de uma nova guerra, que eles queriam evitar.
Em 12 de Abril de 1945 morria Roosevelt, sendo substituído pelo Vice-Presidente Harry Truman.


Segue-se a Conferência de Potsdam, entre 17 de Julho a 1 de Agosto de 1945. A definição do neofeudalismo dos Estados Directores, com uma enorme legião de Estados Secundários que vai ter de optar entre a anarquia ou o apoio a um dos grandes.


Vem, depois, a Conferência de S. Francisco (concluída em 26 de Junho de 1945). A entrada em vigor da Carta da ONU em 24 de Outubro de 1945. Representantes de 51 Estados Soberanos ratificaram a fundação da ONU. Toma como base a Carta do Atlântico de Agosto de 1941

O Acordo GATT assinado em Genebra durante a conferência que decorreu desde 10 de Abril a 30 de Outubro de 1947, reunindo 23 Estados.
Chegou até a ser aprovada uma Organização Internacional do Comércio (ITO) na conferência de Havana que decorreu de 21 de Novembro a 24 de Março de 1948, mas que nunca foi ratificada pelos USA.

12.2.05

Yalta

Começa a esboçar-se o mundo do pós-guerra, através de uma dicotomização maniqueísta das esferas de influência, que se viria a materializar em 1961, aquando da Construção do Muro de Berlim.

Estaline parece aceder aos desejos de Roosevelt, chegando mesmo a dissolver o Komintern Na conferência é definido o modelo de ocupação e desmembramento da Alemanha e sobre as novas fronteiras polacas.

Os três grandes, sem a presença da França, comprometem-se à realização de eleições livres nos territórios "libertados" e à instalação de governos ditos democráticos. Charles De Gaulle vai recusar a receber Roosevelt em Argel, quando ele volta da Crimeira